Disposição Para Perdoar

Felipe Miranda O. Morais Livros Deixe Seu Comentário

Disposição Para Perdoar

 

O verdadeiro perdão não está condicionado à disposição do ofensor em se redimir. Pedindo perdão ou não, o verdadeiro perdão está na disposição de quem perdoa.

 

“Não importa quem errou…

… acerte, conserte, reconcilie!”

 

Como cristãos, temos o ministério da reconciliação.[1] Por isso, independente de quem é a culpa, devemos sempre tomar a iniciativa para a paz[2]. Isso significa que devemos sempre buscar a paz para com todos. [3]

Antes mesmo que haja arrependimento da outra parte, o perdão deve ser liberado. Em alguns casos, o perdão deve ser imediato. Jesus Cristo nos deixou o exemplo.[4] Temos também o exemplo de Estêvão.[5] Ambos estavam sofrendo, sendo ultrajados no momento da sua morte. No entanto, ao invés de odiar aqueles que lhes faziam mal, fizeram algo muito além de um simples perdão! Eles intercederam a Deus para que Ele também perdoasse os malfeitores! Isso é magnífico!

 

“Enquanto apedrejavam Estêvão,

este orava:

“Senhor Jesus, recebe o meu espírito”.

Então caiu de joelhos e bradou:

“Senhor, não os consideres culpados deste pecado”.

E, dizendo isso,adormeceu.” Atos 7.59-60

 

José, filho de Jacó, quando foi vendido pelos seus irmãos como escravo e levado ao Egito, não esperou que eles se arrependessem para que pudesse perdoá-los. Por isso ele pôde desfrutar das bênçãos de Deus, porque estava livre! [6]

Temos em toda a Escritura Sagrada muitos exemplos de perdão.  Na verdade, gastaria milhares de páginas para expor cada um deles!

[1] Ref.: 2 Coríntios 5.18

[2] Ref.: 1 Pedro 3.11 / Salmos 34.14

[3] Ref.: Hebreus 12.14

[4] Ref.: Lucas 23.34

[5] Ref.: Atos 7.59-60

[6] Ref.: Gênesis capítulos 37 a 45