O Modelo da Oração Eficaz

Felipe Miranda O. Morais Livros Deixe Seu Comentário

O Modelo da Oração Eficaz

 

Mateus 6:33   “Venha a nós o Teu Reino”; Jesus Cristo nos disse para não nos preocuparmos com o “nosso reino”, pois Ele sabe de todas as coisas que precisamos para viver. Por isso, devemos buscar o Reino de Deus.

Mateus 6:25   “O pão nosso de cada dia…” Às vezes, a ganância nos deixa cegos a respeito das coisas espirituais. Nos deixam incapazes de compreender a Vontade de Deus para nossas vidas. Não precisamos de receber de uma só vez tudo aquilo que precisaremos durante toda a vida, mas apenas o que precisamos no dia de HOJE, pois o amanhã a Deus pertence.

Mateus 6: 31   “Não andeis, pois ,inquietos…”    Deus quer que venhamos a confiar Nele, pois somos muito importantes para Ele. E quando queremos ser cada vez mais rico, receber sempre mais, não nos contentando com aquilo que Ele nos tem provido, demonstramos a Ele que não somos agradecidos por Sua misericórdia. Quando pensamos que o fato de termos fartura no dia de hoje irá nos garantir o futuro, estamos excluindo a “providência” de Deus e Seu cuidado para com os Seus.

João 13:34   “Perdoa-nos… Como nós perdoamos…” Primeiro precisamos estar em comunhão com todos os irmãos, para que a Vontade de Deus venha a se realizar em nossas vidas.

Agora você já pode entender a oração que Cristo ensinou aos seus discípulos, viver segundo este clamor e praticá-la.

 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome.

Venha o Teu Reino. Seja feita a Tua Vontade, tanto na terra como no céu.

O pão nosso de cada dia dá-nos hoje.

Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque Teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!”.Oração



Todos os versículos citados são referentes à Versão Traduzida em Português por João Ferreira de Almeida, Revista e Corrigida, Edição de 1995.


“A Vontade de Deus é Boa,

Perfeita e Agradável”.

(Romanos 12:2)


Conclusão do livro – 19 de Setembro de 2007