O Pecado Da Bênção: Não Transforme Sua Bênção Em Maldição

Felipe Miranda O. Morais Livros Deixe Seu Comentário

O Pecado Da Bênção:

Não Transforme Sua Bênção Em Maldição

O Pecado da Bênção

O que é o “pecado” da Bênção?

É a busca obstinada pela bênção a ponto de elevar a própria bênção acima de Deus, transformando as bênçãos de Deus em maldições para nossas vidas. “Às vezes, queremos apenas a ‘Bênção de Deus’, mas não queremos o Deus da Bênção”.

Cometemos o “pecado” da bênção quando:

Há inversão de valores, ou seja, quando colocamos as bênçãos de Deus em primeiro lugar em nossas vidas e Deus em segundo plano.

Muitas vezes estamos dispostos a pagar o preço de uma bênção terrena, mas esquecemos de que devemos conquistar o Reino dos Céus.

Mateus 6:33 diz: “Mas Buscai PRIMEIRO o Reino de Deus, e a Sua Justiça, e TODAS as demais coisas vos serão acrescentadas”.

 

Há pelo menos 3 tipos de pessoas que cometem o pecado da bênção;

I – O crente de “fachada”

Está na igreja apenas para receber a bênção de Deus, porém não deseja ter uma vida com Ele. Assim que recebe a bênção, desvia-se e não se lembra da fidelidade do Senhor. Muitas vezes essas pessoas se desviam por que desde o princípio do seu propósito já planejavam se desviar tão logo recebessem a bênção que buscavam.

São pessoas que vêem em Deus um meio de obter sucesso e adquirir coisas terrenas, não almejam uma vida plena diante Dele e muito menos a Vida Eterna, pois estas são coisas espirituais, e os tais não o são, por isso não desejam as coisas espirituais.

No Livro de Tiago 4:3 diz: “Pedis e não recebeis porque pedis mal, para gastardes em vossos deleites”.

Tais pessoas ainda não se converteram. São pessoas que muitas vezes não admitem o fato de que Cristo não veio pregar um reino terreno, mas um Reino espiritual.

 

II – Os falsos ministros

São homens fraudulentos, cheios de ganância, sem compaixão e corruptos. Ensinam às ovelhas “meias-verdades” referindo-se à Bíblia, citando textos isolados e sem contextos, manipulam a verdade bíblica em benefícios próprios. As “meias-verdades” são piores que a mentira, pois convencem com muita facilidade, nos dando a falsa impressão de uma nova descoberta e nos deixando despreocupados quanto à necessidade de conferi-las na Palavra de Deus. Deve haver uma busca mais profunda, criteriosa a respeito do assunto em pauta.

Os falsos ministros não ensinam a igreja a viver dentro da Vontade de Deus, apenas pregam uma prosperidade física, com o intuito de “recolherem” cada vez mais do povo de Deus; Jamais ensinam ao povo de Deus a contentar, a perseverar na fé, ainda que na dificuldade. São homens que fazem acepção de pessoas dentro da própria igreja, dependendo da posição social e econômica, tratam os problemas de acordo com o status das pessoas envolvidas e não de acordo com a situação.

Nunca repreendem aqueles que são “importantes para a manutenção” da igreja.

Delegam cargos a qualquer pessoa sem se preocupar com a vida espiritual, com o ministério pessoal de tal indivíduo. Assim o fazem apenas para serem reconhecidos por aqueles que podem manter o luxo desses falsos líderes.

O mais interessante é que esses homens não se apresentam como o que realmente são, pois como diz a palavra de Deus, “Tendo a aparência de ovelhas, são lobos”. (2 Timóteo 3:1-7)

A Palavra de Deus nos fala sobre os últimos tempos, dizendo para tomarmos cuidado com os espíritos enganadores e as doutrinas de demônios.

(Leia: 1 Timóteo 4:1-2).

Em Hebreus 13:9 diz: “Não vos deixeis levar em redor por doutrinas várias e estranhas, porque bom é que o coração se fortifique com graça e não com manjares, que de nada aproveitam aos que a eles se entregam”.

Muitas doutrinas, pensamentos, raízes teológicas distorcidas, nos oferecem um evangelho cheio de esperança nas coisas materiais, dando muito menos crédito às bênçãos espirituais.

 

III – Os fracos na fé

 

Estes precisam do apoio e ensinamento de toda a igreja. São pessoas que se deixam levar por mensagens abusivas e distorcidas da graça de Deus. Mensagens que “vendem” a  ideia de um Deus

“materialista”, que se importa apenas com as coisas deste mundo.

 1 Coríntios 15:19 diz: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos OS MAIS MISERÁVEIS de todos os homens”.

         O apóstolo Paulo nos ensina que devemos sempre desejar algo mais da parte de Deus. Precisamos buscar as bênçãos espirituais. Diz que, se assim não fizermos, somos os “mais miseráveis dos homens”, pois temos a Fonte de Vida eterna, e mesmo assim não buscamos o que é eterno, apenas o que é passageiro. Pedimos a Deus apenas coisas terrenas, e isso demonstra que não queremos comunhão com Ele, mas que queremos apenas as Suas bênçãos.