Gênesis 46 – Jacó desce ao Egito

Felipe Morais Uncategorized Deixe seu comentário

Gênesis 46 – Jacó desce ao Egito

A terra de Ramessés – terra de Gósen – é o campo fértil para o crescimento da nação de Israel

Vamos analisar juntos cada porção desse capítulo? (Gênesis 46:1-34)

v1.   E partiu Israel com tudo quanto tinha, e veio a Berseba, e ofereceu sacrifícios ao Deus de seu pai Isaque.

  • Israel – Quando Jacó toma uma atitude espiritual ele sempre é chamado pelo nome de Israel.
  • Tudo quanto tinha – aqui, devemos considerar que, além de sua descendência contada na lista a seguir (versículos 8 a 27), Jacó também levou consigo todos os seus servos. Essa expressão inclui também todos os seus animais e bens.
  • Berseba – (hb. Beér Sheba) Um lugar de culto instituído por Abraão quando plantara sua tamargueira (Gn 21.33). Tendo partido muito tempo atrás de Berseba em direção a Harã, Jacó torna a passar por lá antes de uma nova aventura no Egito (Gn 28.10)[1]. Ficava a 40 km de Manre, onde Jacó vivia. Aqui Deus falou com Agar (Gn 21.14-17); Abraão fez um juramento com Abimeleque, rei de Gerar, na terra dos filisteus (Gn 21.31,32), plantou uma tamargueira e invocou o Nome do Senhor (Gn 21.33), habitou em Berseba (Gn 22.19);…
  • O Deus de Isaque – Isaque estava em Berseba quando o YHWH lhe apareceu numa noite e lhe disse: “Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão meu servo” (Gn 26.23,24). Logo, Abraão está implícito na citação ao patriarca Isaque.
YHWH O “Y-H-W-H” O nome pessoal do Deus de Israel é escrito nas Escrituras em hebraico com quatro consoantes YHWH (em hb.) que é conhecido como Tetragrama Sagrado.

v2.  E falou Deus a Israel em visões de noite, e disse: Jacó, Jacó! E ele disse: Eis-me aqui.

  • Visões de noite – O Senhor já havia falado por meio de sonhos a Jacó em Gênesis 28.12 e 31.11, e com Abraão em Gênesis 15.1,2.
  • Jacó, Jacó! – a dupla chamada tem algo imperativo que não deixa lugar para escapatórias. Do mesmo modo, chamou Abraão para o sacrifício (Gn 22.11); chamará para seu serviço Moisés (Êx 3.4); e depois Samuel (1Sm 3.4);[2] também “Marta, Marta” (Lc 10.41), e “Saulo, Saulo” (At 9.4).
  • Eis-me – é a resposta espontânea dos servos chamados por Deus, Abraão, Moisés, Samuel, Isaías (Is 6.8). Todos foram vencidos pela chamada que lhes dava o impulso bastante forte para liberá-los de todos os vínculos e projetá-los para frente, no além de seu destino. Eles responderam ao “Eis-me” primordial de YHWH (Gn 9.9).

v3,4.          E disse: Eu sou Deus, o Deus de teu pai; não temas descer ao Egito, porque eu te farei ali uma grande nação.

E descerei contigo ao Egito, e certamente te farei tornar a subir, e José porá a sua mão sobre os teus olhos.

NÃO TEMAS – (Não tenha medo, não tremas!) – Talvez Jacó tenha se lembrado de que seu avô, Abraão, havia enfrentado sérios problemas no Egito (Gn 12.10-20). E quando Isaque, o pai de Jacó, estava a caminho do Egito, o Senhor o impediu de ir para lá (Gn 26.1,2). Mesmo estando José com toda a autoridade sobre aquela terra, Jacó preferiu antes, fazer um altar ao Senhor Deus. Sabendo Jacó que a promessa de Deus feita a Abraão incluía um período de sofrimento e angústia (Gn 15.13), talvez fosse esse o motivo de tremer tanto. Mas o nosso Deus o confortou com as mesmas palavras – Não temas – ditas anteriormente a seu pai Isaque (Gn 26.24) e, posteriormente dita por Moisés a todo o povo de Israel (Dt 1.21; 31.8); pelo próprio YHWH a Josué (Js 1.9; 8.1); a Gideão (Jz 6.23); por Boaz a Rute (Rt 3.11); Davi a Abiatar (1Sm 22.23); a Elias (2Rs 1.15); a Davi (1Cr 22.13); a Salomão (1Cr 28.20); a Acaz (Is 7.4); aos israelitas (Is 10.24; 40.9; 41.10; 54.4; Jr 30.10; 46.27,28); a Ezequiel (Ez 2.6; 3.9); a Jerusalém (Sf 3.16); a José (Mt 1.20); a Zacarias (Lc 1.13); a Maria (Lc 1.30); a Paulo (At 18.9,27.24); e a João (Ap 1.17).   
  • Eu sou Deus, o Deus de teu pai – Isaque, o pai de Jacó, também teve profundas experiências com Deus nesse lugar! Pois, foi o local onde Isaque morou (Gn 22.19), ficou ali após o casamento com Rebeca, o nascimento de seus dois filhos gêmeos; Esaú e Jacó, e só saiu de lá quando houve fome na terra (Gn 26.1) indo para Gerar. Ao retornar para Berseba teve a visão de YHWH onde recebeu a promessa que estava sobre Abraão, seu pai, edificou um altar, invocou o Nome do Senhor, armou ali sua tenda, seus servos cavaram poços, fez aliança com Abimeleque, rei de Gerar, encontrou água num dos poços e o chamou de Seba (Gn 26.23-33).
  • Descerei contigo – Na cultura antiga os “deuses” estavam restritos à sua região ou território exatamente como agem os demônios (ver Marcos 5:10). Aqui vemos que YHWH, o Deus de Israel não está restrito a Canaã ou qualquer outro lugar, uma vez que toda a Terra e sua Plenitude é dEle (1Co 10.26,28; Lv 25.23, Sl 83.18) o que Ele advertiu aos israelitas quando lhes fez a proposta para a Antiga Aliança (Êx 19.5).
  • Certamente – Nosso Deus vela pela sua palavra para cumpri-la! (Jr 1.12)

V5-7.         Então levantou-se Jacó de Berseba; e os filhos de Israel levaram a seu pai Jacó, e seus meninos, e as suas mulheres, nos carros que Faraó enviara para o levar. E tomaram o seu gado e os seus bens que tinham adquirido na terra de Canaã, e vieram ao Egito, Jacó e toda a sua descendência com ele;

Os seus filhos e os filhos de seus filhos com ele, as filhas, e as filhas de seus filhos, e toda a sua descendência levou consigo ao Egito.

  • Certamente temos aqui uma lista muito maior que 70 ou 75 pessoas, pois inclui – como explicado no versículo 1 – todos os filhos e filhas, netos e netas, além de todos os demais descendentes (bisnetos, talvez) e os servos e servas com seus filhos (servos eram contados como “bens”).

v8-27.       E estes são os nomes dos filhos de Israel, que vieram ao Egito, Jacó e seus filhos [ … ][3] Todas as almas que vieram com Jacó ao Egito, que saíram dos seus lombos, fora as mulheres dos filhos de Jacó, todas foram sessenta e seis almas. E os filhos de José, que lhe nasceram no Egito, eram duas almas. Todas as almas da casa de Jacó, que vieram ao Egito, eram setenta.

  • Todas as almas…, que saíram dos seus lombos,… sessenta e seis … setenta – A expressão “sair dos lombos” refere-se à descendência direta ou por meio de seus filhos, netos, etc., (ver Hebreus 7.5-10). Mais à frente vamos exibir uma tabela detalhando a contagem das pessoas.
  • DINÁ – Foi a única filha de Jacó a ser mencionada por nome, embora devesse haver outras (ver Gên. 46.7).[4] Contudo, tais “filhas” podem referir-se às noras.

Figura 1 – Lista de Gênesis 46.8-27 – aiinb.com

A citação de 70 almas está de acordo com Gênesis 46.27 e Deuteronômio 10.22, que não constam os filhos de Manassés que nasceram no Egito (ver Números 26:29).

Esse número 70 conservado aqui no Pentateuco/Torah tem um simbolismo muito grande, pois a lista dos hebreus que “descem” ao Egito compreende aqui 70 nomes, número tipológico que corresponde ao número dos povos no Gênesis 10: em face das 70 nações ser erguem os 70 filhos de Israel (Dt 32.8); tipologia semelhante ocorre com Gideão e seus 70 filhos (Jz 8.3); numa simbologia da ira sobre as nações, temos Acabe e seus 70 filhos que foram mortos, decepados e suas cabeças colocadas em dois montões (2Rs 10.1,6,7).

Observe que dos 12 filhos de Jacó forma-se o total de 70 pessoas. Agora veja que coisa linda quando chegarmos ao estudo de – Êxodo 15.27 – onde veremos 12 fontes de água alimentando 70 palmeiras! Agora leia (João 7.38,39; João 4.14) e entenda que é o Povo de Deus que tem o dever de “alimentar as nações” (Mateus 28.19,20) com a água (Efésios 5:26), a Palavra de Deus!

Importante → Em Atos 7 o diácono Estêvão cita 75 almas* que vieram com Jacó:

‘E José mandou chamar a seu pai Jacó, e a toda a sua parentela, que era de setenta e cinco almas.” – (Atos 7.14)

  • Segundo comentaristas bíblicos, Estêvão cita a LXX – a versão dos setenta – conhecida com “Septuaginta”. Sendo assim, Estêvão cita a Septuaginta em Gênesis 46.20, onde Maquir, Gileade, Sutela, Taã e Éden[5], filhos de Manassés e Efraim, são alistados, perfazendo 75 almas.[6]

“Todas as almas que vieram com Jacó ao Egito, que saíram dos seus lombos, fora as mulheres dos filhos de Jacó, todas foram sessenta e seis almas. E os filhos de José, que lhe nasceram no Egito, eram duas almas. Todas as almas da casa de Jacó, que vieram ao Egito, eram setenta.” – (Gênesis 46.26,27).

Assim temos:

Figura 2 – Lista das 75 pessoas citadas por Estêvão em Atos 7.14 – aiinb.com

# Detalhe importante: Tanto os manuscritos do mar Morto quanto a Septuaginta citam setenta e cinco (75).  

O que seria a LXX (Septuaginta) – também conhecida como a Versão dos Setenta?

  • Trata-se de uma tradução feita por 70 ou 72 rabinos judeus na cidade de Alexandria por solicitação de Ptolomeu[7], o rei do Egito. A datação é similar à dos manuscritos do mar Morto.
  • Para ter-se uma ideia, a Septuaginta é muito mais antiga que o Texto Massorético que data do séc. IV d.C., numa distância cerca 7 séculos!
  • A tradução ficou conhecida como a Versão dos Setenta (ou Septuaginta, palavra latina que significa setenta, ou ainda LXX), pois setenta[8] ou setenta e dois[9] rabinos (seis de cada uma das doze tribos) trabalharam nela e, segundo a tradição, teriam completado a tradução em setenta e dois dias [10]. A Septuaginta, que data sua formação entre 300-100 a.C.[11], é a versão clássica da Bíblia hebraica para os cristãos de língua grega desde o século I e foi usada como base para diversas traduções da Bíblia.

v28.       E Jacó enviou Judá adiante de si a José, para o encaminhar a Gósen; e chegaram à terra de Gósen.

  • A terra de Gósen – Essa era a melhor porção de toda a terra do Egito, a terra de Ramessés, também chamada de terra de Gósen (Gn 46:29; 47:6,11).

Judá como guia – É interessante notar que, como José, já se encontrava no Egito, Jacó não enviou adiante de si a Rúben, seu primogênito segundo a carne, mas Judá, de onde nasceria o Cristo (gr.), o Messias (hb.). Aqui, Judá parece assumir uma figura messiânica onde, ainda que por tipologia “conduz seu povo ao caminho certo” e parte como um guia. Os rabis observam que Goshen (Gósen) tem o mesmo valor numérico que Meshiah (Messias): 358. Não por acaso José e Judá estão relacionados à grande bênção e providência de Gósen. Pois num certo sentido, o Messias tanto é conhecido como filho de José(Lc 3.23; 4.22; Jo 1.45; 6.42), quanto filho de Davi(Mt 1.1,20; 9.27; Mc 10.47), que é da descendência de Judá(Hb 7.14; Ap 5.5).

v29.            Então José aprontou o seu carro, e subiu ao encontro de Israel, seu pai, a Gósen. E, apresentando-se-lhe, lançou-se ao seu pescoço, e chorou sobre o seu pescoço longo tempo.

  • José aprontou o seu carro – é interessante observar que não foi algum dos muitos servos de Faraó a cargo de José que arriaram a carruagem. Pasmem! Foi o próprio José quem fez isso! Tamanha era sua felicidade, senso de urgência, responsabilidade pessoal e prontidão. Assim como fez seu “pai” Abraão tempos atrás quando foi oferecer Isaque em sacrifício, a Bíblia diz que o próprio Abraão carregou seu jumento na presença dos seus servos (Gn 22.3) afinal, ambos, teriam uma grandiosa experiência pessoal.
  • José chorou por longo tempo – pela quinta vez vemos José chorando! José e Jacó encontraram-se em Gósen pela primeira vez em 22 anos. José estava então com 39 anos e Jacó, com 130 (Gn 46.28-30).[12]

v30. E Israel disse a José: Morra eu agora, pois já tenho visto o teu rosto, que ainda vives.

  • Morra eu agora… já tenho visto o teu rosto – Mais uma vez José aparece como uma figura tipológica do Messias! É maravilhoso notar que a mesma reação teve Simeão quando pegou o menino Jesus nos braços. Para sua degustação e deleite desse banquete espiritual vou fazer questão de deixar aqui esse lindo trecho!
Havia em Jerusalém um homem cujo nome era Simeão; e este homem era justo e temente a Deus, esperando a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele. E fora-lhe revelado, pelo Espírito Santo, que ele não morreria antes de ter visto o Cristo do Senhor. E pelo Espírito foi ao templo e, quando os pais trouxeram o menino Jesus, para com ele procederem segundo o uso da lei, ele, então, o tomou em seus braços, e louvou a Deus, e disse: Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, segundo a tua palavra; pois já os meus olhos viram a tua salvação(Yeshua), a qual tu preparaste perante a face de todos os povos; luz para iluminar as nações, E para glória de teu povo Israel. (Lucas 2.25-32).

v31-34.   Depois disse José a seus irmãos, e à casa de seu pai: Eu subirei e anunciarei a Faraó, e lhe direi: Meus irmãos e a casa de meu pai, que estavam na terra de Canaã, vieram a mim!

E os homens são pastores de ovelhas, porque são homens de gado, e trouxeram consigo as suas ovelhas, e as suas vacas, e tudo o que têm.

Quando, pois, acontecer que Faraó vos chamar, e disser: Qual é o vosso negócio?

Então direis: Teus servos foram homens de gado desde a nossa mocidade até agora, tanto nós como os nossos pais; para que habiteis na terra de Gósen, porque todo pastor de ovelhas é abominação aos egípcios.

  • Todo pastor de ovelhas é abominação aos egípcios – é interessante notar que ainda há muitos “egípcios” que detestam os verdadeiros pastores! Contudo, vemos um benefício onde o povo de Deus certamente viveria como um povo separado e distinto, dado que os hebreus eram pastores, e pastores era uma abominação aos egípcios (Gn 43.32; 46.34). Desse modo não haveria casamentos inter-raciais. Em Canaã, isso já estava acontecendo, tanto que Simeão se casara com uma mulher cananeia (Gn 46.10).[13]

Que bom que você leu até aqui. Continue a meditar nas Escrituras!

Para baixar esse e outros materiais acesse o site da AIINB:

www.aiinb.com/biblioteca

Esperamos que esse estudo tenha sido uma bênção para você.

Ore por nós para que possamos fazer mais materiais como esse!

Pr. Felipe Morais

TEMA: CURSO BÍBLICO ONLINE – Gênesis 46

MATERIAL ELABORADO POR: Pr. Felipe Morais

CONTEÚDO TEOLÓGICO SUPERVISIONADO POR: Pr. Rafael Mikio Ikeda Naka

Elaborado em 12 de Outubro de 2019

PARCERIA

CURSO BÍBLICO ONLINE

IGREJA BATISTA RESTAURAÇÃO (Isesaki, Gumna Ken) — Japão

IGREJA BATISTA DO REINO (MG|SP|RJ) — Brasil

AIINB – Aliança de Igrejas Nipo-Brasileiras


[1] CHOURAQUI, André, Bíblia. A.T. Gênesis – No Princípio / tradução [para o francês] e comentários de André Chouraqui; tradução para o português, Carlito Azevedo. (Coleção Bereshit) – Rio de Janeiro: Imago Ed., 1995. Comentário Gênesis 46.1, pág. 476.

[2] Ibid. Comentário Gênesis 46.2, pág. 477

[3] Os versículos 9 ao 25 foram omitidos com propósito de agilizar o estudo, Os nomes citados nesse trecho encontram-se na Tabela a seguir. Porém, há detalhes importantes no trecho omitido que podem sanar algumas possíveis dúvidas.

[4] CHAMPLIN, Russell Norman, O Antigo Testamento Interpretado: versículo por versículo: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números, volume 1 / por Russell Norman Champlin., – 2 Ed – São Paulo: Hagnos, 2001. Comentário Gênesis 46.15, pág. 276.

[5] Aqui o comentarista cita Éden, porém, onde pude perceber, a Bíblia em português cita Bequer (cf. Números 26.35)

[6] DAKE, Fini Jennings, Bíblia Dake, CPAD/Atos, Rio de Janeiro, 2009. Comentário Atos 7.14, pág. 1747.

[7] IRENEU DE LIÃO, Contra as Heresias, São Paulo, Paulus, 1995. Pág. 195.

[8] EUSÉBIO de Cesaréia. História Eclesiástica, São Paulo, Novo Século, 2002, pág. 108,109

[9] Septuaginta: (Guia histórico e literário) / Esequias Soares, São Paulo: Hagnos, 2009, pág. 15,16.

[10] JOSEFO, Flávio, História dos Hebreus, CPAD, Rio de Janeiro, 2004. Livro Décimo Segundo, Capítulo 2, Pág. 520 a 530.

[11] SOARES, Esequias, SEPTUAGINTA: (Guia histórico e literário), São Paulo: Hagnos, 2009, pág. 15,16.

[12] WILLMINGTON, Dr. Harold L., Guia de Willmington para a Bíblia, Volume I. Rio de Janeiro Central Gospel, 2015, pág. 54.

[13] Ibid., pág. 51.