O PRESTÍGIO TE AFASTA DAS PESSOAS

Felipe Morais Uncategorized Deixe seu comentário

Observe que Jesus Cristo NUNCA de preocupou em “manter a pose” diante das pessoas. Ele não se escondia atrás de uma “máscara de super-herói”. Jesus chorou, e seus discípulos deixaram registrado esse importante fato. Esse fato por si só já expressa a grandeza de tudo o que podemos perceber adiante…

Enquanto vários líderes religiosos de sua época se mantinham distantes dos pecadores (Lucas 7:39), antes Ele que é perfeito em todas as coisas, simplesmente era sincero, simples e objetivo.

Sua profundidade estava na capacidade de explicar sem acepção de pessoas, tanto aos sábios quanto ao “povão” temas extremamente complexos da forma mais simples possível, por parábolas.

Mas voltando à questão do PRESTÍGIO…

Por que os “artistas” são tão idolatrados?

R.: Porque eles não se permitem ser conhecido como realmente são.

“Pois a consagração social será mais eficaz quanto maior a distância do consagrado.”

E isso é relativamente simples..

Um artista quase sempre é visto e idolatrado como deus, pois mantém distância de seus súditos.

Se os vissem fazendo as coisas do dia-a-dia ou até mesmo sangrando perderia “forças consagratórias”.

Isso era exatamente o que os fariseus faziam no tempo de Cristo e é exatamente o que fazem toda a gama dos “artistas gospel” que se vendem por dinheiro e fama (prestígio) onde se preocupam mais com a REPUTAÇÃO que com o TESTEMUNHO.

“Praticam, porém, todas as suas obras com o objetivo de serem vistos dos homens;…” (Mateus 23:5)

Percebeu qual é o objetivo dos tais?
Visibilidade, reconhecimento, fama, status…

Muitos líderes não se deixam ser conhecidos pelos demais irmãos simplesmente para não perder a “áurea” de “homem de Deus”. Mas no fundo, acabam sofrendo com isso, pois não há como sustentar essa pose para si mesmo.

Além do mais, quem está mais próximo dele conhece seus defeitos sempre irão lembrá-lo de que sua face não é como a máscara. Talvez por isso seus filhos acabam se desviando do Evangelho, já que o que os tais pregam está longe daquilo que realmente vivem.

Veja o caso de Naamã. Todos podiam admirar o herói de guerra, a forma como ele se apresentava, falava e andava nas ruas ou no palácio. Mas na sua própria casa, quando ele retirava suas armaduras ou suas fardas de comandante, o foco não eram suas medalhas e patentes, pois sua família e seus servos sabiam como realmente estava a situação daquele homem… E assim estão muitos “Naamã’s” na igreja…

Jesus Cristo mostra que se importava mais em como Ele era percebido pelos seus discípulos, aos quais Ele chamava de “amigos” que O acompanhavam e portanto poderiam dar um Testemunho de sua trajetória.

“Indo Jesus para os lados de Cesaréia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. MAS VÓS, continuou ele, QUEM DIZEIS QUE EU SOU? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, O FILHO DO DEUS VIVO.” (Mateus 16:13-16)

Eles O conheciam, e agora, O reconheciam…

Todos os que trabalham na Obra do Senhor precisam urgentemente abdicar do desejo de prestígio e reconhecimento diante dos homens. Uma vez que isso, embora pareça representar uma aprovação de Deus, pode ser nada mais que um sintoma de que todo esse sucesso é porque se está na contramão do Evangelho:

“Ai de vós, quando todos vos louvarem! Porque assim procederam seus pais com os falsos profetas.” (Lucas 6:26)

João Batista venceu o “EGO ministerial” e isso é facilmente encontrado em sua declaração:

“Convém que ELE cresça e que EU diminua.” (João 3:30)

Após essa mensagem, creio que possamos compreender melhor a exortação só apóstolo Paulo que disse:

“Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?” (1 Coríntios 3:3)

“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, FAZEI TUDO PARA A GLÓRIA DE DEUS.” (1 Coríntios 10:31)

____________________
Pr. Felipe Morais